Preview 2011 – Parte 1: Os filmes mais esperados do ano!

Quando 2010 começou, muitas perguntas estavam no ar. Será que a Pixar vai quebrar o tabu e Toy Story 3 vai ser uma 3ªparte boa? O que raios David Fincher tem na cabeça para fazer um filme sobre o Facebook? Pior que isso, pra que José Padilha vai fazer uma sequência de Tropa de Elite? Não tem como dar certo.

Numa rapidez assustadora, 2010 foi embora e essas perguntas tiveram ótimas respostas. Agora, 2011 começa com a pergunta: será que essa avalanche de continuações que vai tomar o ano vai valer a pena? E os novos heróis que estão vindo, vão ser bem representados? O Preview 2011 começa agora aqui no blog, mostrando os filmes mais esperados, os que nem parecem tão bons e os que até valem a pena dar uma conferida. E aqui, na parte 1, você confere os filmes mais esperados do ano, com direito a trailers e data de estreia. Clique abaixo e faça sua agenda!

Continuar lendo

Be italian…

Ok, tem um clima meio Chicago – isso não foi um elogio – mas Deus do céu, olha esse elenco. Ótimo trailer, estou na expectativa.

E sério, se Rob Marshaal errar num filme com Daniel Day-Lewis, Marion Cotillard, Nicole Kidman, Penelope Cruz, Kate Hudson, Sophia Loren e Judie Dench… é melhor se aposentar. Sério.

PREVIEW: Quem Quer Ser um Milionário?

Road to the Oscars

Indicado a Melhor Filme, Direção, Roteiro Adaptado, Trilha Sonora, Canção Original (2 músicas), Fotografia, Montagem, Edição de Som e Mixagem de Som

Tratado como a descoberta do Santo Graal pela critica e vencedor de toneladas de prêmios, Quem Quer Ser um Milionário? se transformou, subitamente, no grande favorito para levar a estatueta de Melhor Filme na noite de domingo,22. Pois é. Mas o filme é tudo isso?

Na minha sincera opinião, não. É muito bom, envolvente, mas não achei nada de espetacular que faça o filme merecer tanta adoração. É muito bem-feito e isso é incontestável. A fotografia é excelente (as cenas em Mumbai são sensacionais) e a edição não menos que perfeita, foram indicações merecidissimas. Mas quem gostou que me desculpe… achei a trilha sonora incidental insuportável. Pode ser justificável e simbólico e etc, mas odiei. Fiquei surpreso por ter ganho o Globo de Ouro. Espero que não leve o Oscar (coisa que infelizmente acho difícil).

As atuações… bem, não são elas que fazem o filme bom. Dev Patel e Freida Pinto (o casal principal) fazem um trabalho eficiente, mas nada mais que isso. Não me perguntem o que os atores tinham na cabeça quando elegeram o elenco do filme como melhor do ano no SAG. A direção de Danny Boyle é igualmente eficiente, mas novamente, não é uma coisa para se louvar. De fato, a única coisa que de fato merece grande reconhecimento é a parte técnica do filme, que como já disse, é maravilhosa. No entanto, a pergunta que não quer calar, é como Bruce Springsteen e sua belissima “The Wrestler” foram inexplicavelmente esnobados e deram lugar a “O Saya”, uma música incrivelmente bocó. A presença de “Jae Ho” até é justificável, é uma música legal – ainda que não ache que vá ganhar – mas sério, “O Saya”? A Academia e suas bizarras decisões…

O que causou tamanha adoração? Explico: é uma história bonitinha e romântica, com um roteiro bacana e duas pessoas que ultrapassam todos os obstáculos para ficarem juntas. Um filme sobre esperança e a perseverança de um rapaz para seguir em frente. Ou seja, exatamente o que os EUA estão precisando neste momento. Precisa dizer mais? Está com uma mão no Oscar, só não tenho certeza que vá ganhar (e nem estou torcendo…).

Enfim, Quem Quer Ser um Milionário? é um filme bom, merecia sim ser indicado ao Oscar e vale a pena ser visto. Vencer como Melhor Filme de 2008… é outra coisa. Confira a crítica completa no dia de estreia.

Quando estreia: 6/03, com pré-estreias a partir de hoje.

PREVIEW: Frost/Nixon

Road to the Oscars

5 indicações: Melhor Filme, Diretor, Ator – Frank Langella, Roteiro Original e Montagem

Baseado na peça de teatro de Peter Morgan (que assina o roteiro do longa), Frost/Nixon me impressionou. Eu, que conferi o filme com um certo preconceito – pois nunca gostei muito de Ron Howard – acabei queimando a língua quando me vi tenso e completamente envolvido na sensacional guerra verbal que David Frost e Richard Nixon travam numa histórica entrevista feita em 1977, quando o povo clamava pelo julgamento de Nixon, que havia renunciado por causa do escândalo do caso Watergate.

O filme é maravilhoso. Não cansa em momento algum, nos deixa nervosos e ansiosos para saber como aquilo vai terminar e claro, conta com Frank Langella e Michael Sheen nos papéis principais. Repetindo os personagens que interpretaram no teatro (uma decisão acertadissíma de Howard), eles hipnotizam com suas atuações, em especial é claro, Frank Langella. Ele incorpora Richard Nixon completamente e todo momento que o ex-presidente aparece, não conseguimos olhar para outra coisa. Uma atuação espetacular, merecedora de Oscar e que provavelmente ganharia, não fossem a presença de um certo lutador e de um ativista gay na disputa. E Michael Sheen não decepciona como David Frost, está ótimo e durante as sequências de entrevistas, só melhora. Num determinado momento, fica claro a insegurança de Frost quando Nixon rebate perguntas polêmicas de modo simples, como se estivessem perguntando o que ele comeu no café da manhã.

A trilha sonora de Hans Zimmer é excepcional e aliada ao trabalho dos dois atores, só ajuda a criar o clima de tensão entre os dois personagens no filme. Quanto a direção de Ron Howard… bem, é eficiente, mas ele não mudou nada. Seu jeito didático e certinho continua ali, mas dessa vez – ainda bem – isso não tornou o filme algo cansativo de assistir.

Frost/Nixon é excelente e vale a pena ser conferido. Foram indicações merecidissimas ao Oscar, ainda que eu tenha certeza que não vá levar nenhuma (não que não mereça, mas há uma forte concorrência esse ano). E é por isso que eu digo e repito que 2008 foi um dos melhores anos do cinema. E não deixe de conferir a critica completa do filme quando ele estrear.

Quando estreia: 6/03

PREVIEW 2009: Recordar é viver…

recorde

Já não é de hoje que o cinema tem apostado em velhos clássicos repaginados. George Lucas apresentou Star Wars a nova geração (em 3 capítulos fracos, mas enfim…), Stallone reviveu seus dois ícones, Rocky Balboa e Rambo, Bruce Willis foi John McClane pela 4ªvez numa história sobre hackers (século XXI…) e até Indiana Jones voltou, isso sem contar os clássicos da TV e… dos brinquedos como A Feiticeira (vivida no cinema por Nicole Kidman), As Panteras (filmes ruins como a peste), Transformers (cuja continuação você já viu no último preview)  e Agente 86 (vivido pelo hilário Steve Carrel).

Este ano não vai ser diferente dos outros: entre adaptações de livros e HQs (e uns filmes originais aqui e ali,hehe) temos o retorno da Enterprise, o detetive mais famoso do mundo por Guy Ritchie, Kamehame-ha em live-action (Deus do céu…) e até os sleestaks estão de volta! Confira abaixo:

Continuar lendo