Retrospectiva 2010: O ano do 3D… de mentira.

Depois de 12 anos “desaparecido”, James Cameron voltou aos cinemas com “Avatar”, que como todos os outros filmes do cineasta, é um verdadeiro espetáculo. O filme foi a grande revolução visual da última década e inaugurou de vez a era dos filmes 3D, onde o efeito estaria completamente integrado a história, servindo para colocar o espectador dentro da ação e não apenas para criar a ilusão de coisas sendo jogadas para fora da tela.

A terceira dimensão surgiu como um novo brinquedo para Hollywood se divertir. Todo mundo sabe que quando uma criança ganha um brinquedo novo, precisa de alguém para mostra-la como brincar direito com ele. Mas, visto o resultado dessa avalanche 3D que invadiu os cinemas esse ano… não tinha ninguém pra ensinar Hollywood.

Com sua aventura, Cameron mostrou o caminho que o cinema 3D deveria seguir daqui para frente, investindo na ideia de colocar o espectador dentro da trama, integrando efeitos e história de um jeito único e especial. Assim que a campanha de marketing de Avatar começou a ficar mais maciça e viram o potencial da produção, a festa foi começando: a Disney confirmou que a versão de Tim Burton para Alice no País das Maravilhas seria convertida no formato, a Warner também soltou que os dois últimos Harry Potter seriam convertidos.

Então, Avatar estreou e em algumas semanas, alcançou US$ 1 bilhão nas bilheterias mundiais. Daí em diante, tão descontrolado quanto a bilheteria do filme, que não parava de crescer, foram as confirmações dos estúdios convertendo em 3D toda produção que estivesse a frente. Fúria de Titãs foi atrasado em vários meses para ser lançado no formato, assim como O Último Mestre de Ar, de Shyamalan. O novo Crônicas de Nárnia também seria convertido, todos os blockbusters de 2011 também passariam pelo mesmo processo (além dos filmes de HQ, Piratas do Caribe 4 e Transformers 3, confirmado recentemente). Nas animações então, o 3D, que já era bem frequente, virou palavra de ordem.

No entanto, todos esses filmes só serviram pra mostrar o quanto Hollywood está despreparada para lidar com a tecnologia 3D. Fúria de Titãs sofreu uma conversão atrapalhada, que deixou o filme com uma imagem confusa e efeitos falhos, estragando as pouquíssimas coisas boas que a produção tinha. Em Alice, era mais fácil achar qualidades no filme do que enxergar o 3D ali e na aventura de Shyamalan, ficou claro o desespero do estúdio de garantir sua bilheteria convertendo o filme com menos de 5 meses para sua estreia (e falharam miseravelmente).

Por mais que Avatar tenha sido um exemplo brilhante de como fazer um filme que seja de fato em terceira dimensão, com os efeitos de profundidade integrados a história de modo a colocar o espectador na ação, quase todos os filmes esse ano insistiram em limitar o 3D ao seu velho papel: objetos sendo jogados na nossa cara, dedos sendo apontados diretamente pra câmera, o tipo de bobeira que já não está valendo mais o (caríssimo!) ingresso pra uma sala 3D.

Temos mais conversões vindo para 2011. Nem todo diretor quer se dar ao luxo de gastar mais dinheiro, tempo e paciência para gravar um filme com essa nova tecnologia, já que as câmeras são especiais e o modo de filmar muda completamente, pois cada ator e objeto precisa estar posicionado de modo estratégico. Enquanto o estúdio decide isso para alguns, outros já batem o pé e renegam a tecnologia, como Christopher Nolan, que disse nem cogitar lançar seu terceiro Batman em 3D.

Para o futuro, fica a torcida para menos filmes convertidos e mais que de fato tenham aprendido com James Cameron a usar essa tecnologia, que pode sim ser fantástica, se usada com competência…

___________________________________________________

Em tempo: Em 2010, apenas três filmes foram concebidos como filmes 3D de fato. São eles Resident Evil 4, Jogos Mortais – O Final e Tron: O Legado. Os dois primeiros tem uma qualidade duvidosa e o terceiro um 3D puramente estético, que pode passar despercebido. Até meio frustrante, não?

Anúncios

2 comentários sobre “Retrospectiva 2010: O ano do 3D… de mentira.

  1. Verdade, James Cameron abriu mesmo as portas do universo 3D no cinema, integrando a historia com tecnologia e efeitos gráficos. Só acho uma pena o Nolan bater o pé e enão querer converter o Batman 3 para 3D, seria fantastico. Belo post Marcelo, parabens.

    Ps.: Eu ri da foto antes do post

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s