Retrospectiva 2010 – Top 5: Surpresas e decepções…

O ano vai acabando e como já é de costume por aqui, hora de lembrar o que teve de melhor e pior nele. Pra falar a verdade, 2010 como um todo me surpreendeu. Eu sabia que tinha uns filmes promissores, mas realmente não esperava que alguns deles chegasssem ao ponto de estarem entre os melhores dos últimos tempos (brinquedos, sonhos e Facebook terão seu espaço na retrospectiva essa semana…).

As surpresas que você vê abaixo no entanto, são de filmes que não soavam nada promissores ou não pareciam tão bons e impressionaram e, como tudo tem dois lados, tem também os filmes que prometeram muito mas não foram lá muita coisa…

As surpresas:

5 – Scott Pilgrim Contra o Mundo: A história já soava inusitada nas HQs, então, imaginem ver um trailer em que, num determinado momento, uma caricatura pixelizada do personagem surge do lado dele e ele a pega pois é uma “vida extra”… se eu já não tivesse visto o filme, seria difícil de acreditar que ele existe. Pois ele não só existe como é, fácil um dos melhores e mais divertidos filmes do ano. Apesar de ser um pouco fechado demais para um tipo de público (é nerd até a espinha) e ter tido um lançamento porco aqui no Brasil, não teve quem não se divertiu assistindo.

4 – Tropa de Elite 2: Maior fenômeno do cinema nacional nos últimos tempos, o filme de José Padilha é daquelas coisas que se mexesse, tinha tudo pra estragar. Por isso, eu não dava absolutamente nada para essa sequência, que soava um caça-níquel barato que ia manchar o bom nome que o filme criou. Não podia estar mais enganado: Tropa de Elite 2 não é apenas bom: é um dos melhores filmes do cinema nacional, superando seu antecessor em todos os aspectos e mostrando que tinha sim, muita coisa pra mostrar ainda.

3 – Shrek Para Sempre: Sabe aquele amigo que você até gosta, mas força a amizade contando a mesma piada mil vezes por dia? Shrek já tinha chegado nesse ponto. Era diferente e divertido, ficou sem graça e apelativo. Depois do péssimo Shrek Terceiro, achei até um pouco revoltante insistirem num quarto. Mas ao ver o filme, dá pra entender tudo: o último filme da franquia não chega a ser bom como os dois primeiros, mas diverte como eles e foi um fechamento muito mais digno. Pelo menos agora, Shrek pode se aposentar com dignidade…

2 – Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo: Filme de game. Precisa de mais algum motivo para não ter botado fé? Fui para o cinema na mais pura falta do que assistir – e porque estava com amigos… – mas no fim, saí satisfeito. Apesar de se desprender quase que completamente do game, Mike Newell fez um filme que cumpre exatamente o que propõe: uma diversão descompromissada pra assistir com os amigos. Pode até tratar o espectador como imbecil em alguns momentos e ter Jake Gyllenhaal atuando tão bem como uma porta, mas mesmo assim o filme é bem melhor do que eu esperava.

1 – Karate Kid: Esse é ainda mais grave… remake. Pior ainda: remake de um dos clássicos supremos dos anos 80. Reneguei a existência desse filme por um bom tempo, na verdade, até ele estrear e todo mundo – mas todo mundo MESMO – falar que o filme era muito bom. Enfim resolvi ver e não deu outra: Karate Kid foi, fácil, minha maior surpresa esse ano. Dá até pra esquecer que é um remake e só curtir a história dessa versão atual em si. Claro, não chega aos pés do original, mas é ótimo. A gente só não precisava de Justin Bieber no final né…

___________________________________________________

… E as decepções:

5 – Homem de Ferro 2: Antes de lançarem as pedras, me deixem explicar. Sim, eu gostei MUITO do filme quando vi nos cinemas e não, não estou me contradizendo porque não acho o filme ruim de forma alguma. Mas aquela empolgação da estreia passou bem rápido e percebi que cada vez que pensava no filme, via um problema. Revê-lo há pouco tempo atrás mostrou que, apesar de ser muito bom, ficou devendo em várias coisas (as cenas de ação fazem mais falta do que eu pensei), sem contar que não vemos Robert Downey Jr. como Tony Stark, mas o contrário. Continua bom, mas podia ter sido muito, mas muito melhor…

4 – Um Olhar no Paraíso: Acho que é meu direito esperar muito de um filme dirigido pelo cara que levou Senhor dos Anéis para as telonas e transformou a trilogia numa das maiores sagas cinematográficas da história, certo? Portanto, foi uma decepção aterradora ver Um Olhar no Paraíso e dar de cara com um filme chato, exagerado e que em vários momentos não faz o menor sentido. Não fosse Stanley Tucci, ótimo no papel do assassino, seria um completo desperdício de tempo. Uma pena.

3 – Nine: O diretor Rob Marshall não inspirava muita confiança, mas o elenco era pra fazer cinéfilo ficar com o olho brilhando: Daniel Day-Lewis, Marion Cotillard, Judi Dench, Penelope Cruz, Nicole Kidman, Sophia Loren, Kate Hudson… parecia impossível dar errado. Pois é… no fim, o resultado foi um musical dos mais cretinos, com alguns momentos constrangedores, outros aleatórios e atuações deprimentes de quase todo o elenco (Cotillard salva a pátria, trabalho sensacional). Quando a melhor coisa do filme é Fergie vestida de prostituta e cantando, é sinal de que tem algo muito errado, não?

2 – Fúria de Titãs: Remake de um clássico tosco da Sessão da Tarde, Fúria de Titãs tinha tudo pra impressionar. Com o avanço dos efeitos visuais e a riquíssima mitologia grega a seu favor, tinha tudo pra sair um blockbuster excelente. Mas quem comandou o filme foi Louis Leterrier, mestre da ação descerebrada (é dele a franquia Carga Explosiva). Por isso, temos um filme besta, com atuações que beiram ao cômico (o próprio Sam Worthington admitiu), um fiapo de história e sequências que só rindo pra não chorar. E nem vou falar do 3D fake que o filme teve…

1 – Alice no País das Maravilhas: Sou fã de Tim Burton. Gosto de quase todos os filmes do cara e admiro sua criatividade. Por isso, achei bem legal quando vi que Alice teria uma versão dele. O filme prometia, especialmente por Johnny Depp e Helena Bonham Carter, que pareciam ótimos nos seus papéis… triste foi descobrir que no fim, só isso era bom no filme. Fora essas duas ótimas interpretações e claro, o visual sempre fantástico dos filmes do diretor, Alice é uma grande decepção, com cenas de dar vergonha alheia, Anne Hathaway completamente dopada e um 3D que só serviu pra garantir o bilhão para o filme, já que os efeitos são quase inexistentes. Burton ficou devendo nessa…

_____________________________________________

Esteja livre pra concordar ou xingar qualquer coisa por aqui, dê sua opinião! E não deixe comentar: pra você, quais foram os filmes que decepcionaram e surpreenderam em 2010?

No próximo post especial, um texto sobre a grande atração dos cinemas em 2010… o 3D. Fique ligado!

Anúncios

Um comentário sobre “Retrospectiva 2010 – Top 5: Surpresas e decepções…

  1. Furia de Titas e Alice tb foram decepções para mim. Alias, Alice feriu minha alma, rs… Mas eram dois filmes que eu imaginava que teria um valor maior no roteiro e não somente em efeitos. wrong…

    Vc foi uma das poucas pessoas que nao esculachou O Principe da Persia. Nao sei se é porque eu senti mta nostalgia com Dastan fazendo piruetas igual no video game, mas eu adorei o filme. Claro, é pra se divertir e esquecer. Nem por isso é de se jogar fora né?

    Abs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s