Últimos filmes vistos – Parte 2: … e o filme fraco de Martin Scorsese

Gangues de Nova York (2002)

E a segunda parte do post traz o épico de Martin Scorsese, o filme mais fraco que eu já vi do diretor, mas ainda assim bom. Porque Scorsese sabe o que faz né…

Chega a ser irônico que Martin Scorsese, o melhor entre os três diretores dos filmes comentados nas duas partes desse post, tenha o filme mais fraco do post. Entenda: não é ruim. É muito bom até, mas não apenas é o mais fraco entre os que foram comentados aqui como provavelmente é um dos mais fracos de Scorsese (e ainda assim é bom). Gangues de Nova York se passa nos Estados Unidos do século XIX e tem uma história excelente, mas acaba caindo na terrível armadilha de parecer mais uma aula de história do que um filme em si.

Se tem um motivo para o filme ser visto, é a sua produção. Os cenários são fantásticos, direção de arte excepcional, fotografia incrível, tudo retratando de modo perfeito aquela época. A trilha sonora também dá o tom épico da história e a direção de Scorsese não deixa muito a desejar, mas vindo de um diretor como ele, isso passa muito longe de ser algo bom. Além do que, todo mundo sabe que isso não basta para um filme ser bom.

O roteiro é uma enorme bagunça. Um longo e desnecessário tempo é gasto para mostrar como as coisas funcionavam e como os americanos viviam naquela época (que é o que faz o filme parecer uma aula de História) e quando a trama finalmente se volta para os personagens, não conseguimos se importar com nenhum deles, mesmo a jornada de vingança do protagonista, vivido por Leonardo DiCaprio (sua primeira parceria com Scorsese) nos deixa indiferentes, a ponto de não sentirmos alegria ou tristeza com suas conquistas ou falhas.

Apesar disso, o ator se esforça para entregar um bom trabalho. Mas nada que se compare aos seus trabalhos futuros com o diretor. Do resto do elenco, Daniel Day-Lewis é um monstro atuando e aqui isso não é diferente, é de longe o melhor em cena, como o terrível Bill, the Butcher, líder da gangue “vilã” (dá pra dividi-los assim?) no filme. Até Cameron Diaz está ótima no filme, se bobear, é uma de suas melhores atuações.

Mesmo com tantos problemas, Gangues de Nova York não é um filme que merece ser ignorado. É grandioso, extremamente bem-feito, de fato um épico, mas talvez na empolgação de fazer um filme desse tipo, Scorsese acabou dando mais espaço a história americana do que a dos personagens, que é o elemento que acaba conquistando o público.

Sem ele, o filme fica acaba ficando vazio…  mas ainda vale ser visto, pela atuação de Day-Lewis, os ares de mega-produção e a fantástica música do U2, “The Hands That Built America”, que toca nos créditos e foi indicada ao Oscar (coisa de fã, hehe). No fim, é um filme bom… mas podia ser muito, mas muito melhor…

Nota: 7

Anúncios

3 comentários sobre “Últimos filmes vistos – Parte 2: … e o filme fraco de Martin Scorsese

  1. legal cara, ótimo post!

    Acho a história americana bem legal, que período dos americanos esse filme retrata?

  2. Não Acho Gangues um dos mais fracos do diretor. Perto de Kundun e O Aviador é excepcional. Só a participação do Daniel Day-Lewis já vale o filme. Lógico que comparar com produções como Os Bons Companheiros, Táxi Driver e Caminhos Perigosos é até covardia (mas era uma outra fase do Scorsese, que honestamente não acredito que se repita).

  3. Também acho que “Gangues de NY” é um dos mais fracos do diretor. Curioso que gostei muito da primeira vez, mas nunca revisão caiu bastante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s