Meus comentários sobre o Oscar 2009

O apresentador do Oscar cheio de glamour, a comentada apresentação musical, um dos melhores momentos da noite e uma cena memorável

O apresentador do Oscar cheio de glamour, a comentada apresentação musical, um dos melhores momentos da noite e uma cena memorável

De volta da minha viagem eu começo o texto “agradecendo”  a Rede Globo pela provável pior cobertura do Oscar da história da televisão. Se fosse pra fazer aquilo, era melhor nem ter feito nada. Depois, agradeço (sem aspas, óbvio) ao Beto, co-administrador do Comentando Séries, que me ajudou postando os vencedores quando eu não estava aqui. Graças ao torrent, vi a cerimônia completa e vamos aos comentários de uma premiação repleta de novidades e muita criatividade:

De cima pra baixo: Streep quer mais um Oscar a qualquer custo, Ben Stiller brinca com acontecimentos recentes, Heath Ledger recebe o devido reconhecimento e os musicais estão de volta!

De cima pra baixo: Streep quer mais um Oscar a qualquer custo, Ben Stiller brinca com acontecimentos recentes, Heath Ledger recebe o devido reconhecimento e os musicais estão de volta!

Foi uma das melhores cerimônias dos últimos anos. Repleta de mudanças – na sua maioria, bem-vindas – foi menos sonolenta que nos anos anteriores. Tivemos momentos memoráveis e outros constrangedores (a única coisa que nunca muda no Oscar).

Hugh Jackman impressionou e fez um excelente trabalho como apresentador da premiação. Cheio de carisma, soltou a voz em dois ótimos momentos, dançou, viu como é trabalhar ao vivo (ele não conseguia segurar a risada no – ridiculo, alias – número brincando com O Leitor)  e interagiu com vários atores na plateia, como Anne Hathaway, que foi para o palco (ok, a cena era ensaiada, mas não deixou de ser bacana, certo?) e Frank Langella, no qual Jackman sentou no colo.

Já que citei os momentos de cantoria, vamos aos números musicais: o início, brincando com os indicados, foi bem bacana, com exceção – como já foi citado – de O Leitor. Confessa, você também quis virar a cara, com vergonha alheia, não é? O papelão foi tão grande que Jackman não conseguia segurar o riso. Tivemos também o tão controverso número “The Musicals are Back”, que além do apresentador da cerimônia, contou com Beyoncé, Zac Efron, Vanessa Hudgens, Amanda Seyfried e Dominic Cooper. Digo controverso porque pelo que vi em blogs e em discussões no orkut, o público ficou dividido. Houveram os que acharam ridiculo e os que adoraram. Eu particularmente achei sensacional! Ok, a razão para ele existir foi bem cretina (por causa dos recordes de Mamma Mia! ??), mas foi tudo muito caprichado, apesar da presença de High School Musical 3 e Mamma Mia! ali no meio de um medley com canções de Cantando na Chuva e A Noviça Rebelde.

De cima pra baixo: Boyle leva seu primeiro Oscar, um roteirista novato faz o melhor discurso da noite, a consagração de Penelope Cruz e deu Pixar em Melhor Animação... de novo.

De cima pra baixo: Boyle leva seu primeiro Oscar, um roteirista novato faz o melhor discurso da noite, a consagração de Penelope Cruz e deu Pixar em Melhor Animação... de novo.

E para compensar o vergonhoso In Memorian de 2008, que pareceu feito em Power Point, esse foi todo especial, com Queen Latifah cantando no palco enquanto víamos as várias perdas que o cinema sofreu no ano passado. Vimos como 2008 foi triste se formos analisar esse lado, foram perdas ENORMES, como a de Charlton Heston e Paul Newman, só para dar alguns exemplos. Foi um excelente momento da premiação.

Mas o melhor mesmo ficou por conta dos comediantes! Tina Fey e Steve Martin apareceram para apresentar as categorias de Melhor Roteiro Original e Adaptado e não deu outra: foi um dos melhores – senão o melhor – momento da noite. Era impossível não rir com os dois, que ainda zoaram a Cientologia. E em frente a uma plateia de atores. Sério, só com eles dois para ouvirmos coisas como:

Tina: Uma vez, um homem disse que escrever é viver para sempre.

Steve: O homem que escreveu isso está morto.

E inevitavelmente cairmos na risada. Outro momento memorável foi o de Ben Stiller com Natalie Portman. Todo mundo sabe que Joaquin Phoenix ficou meio doidão do nada, está com uma barba assustadora e rendeu momentos constrangedores no programa de David Letterman. Pois bem, não iam deixar essa passar né? E eis que Stiller apareceu exatamente como Phoenix está atualmente, imitando os trejeitos estranhos e tudo. Se você não viu, a imagem está lá em cima, só pra você ter uma ideia. A plateia enlouqueceu.

Mas nem tudo foi lindo e maravilhoso. Primeiro, os anúncios das categorias de atuação. A ideia não poderia ser mais genial: chamar 5 vencedores anteriores para falar sobre os indicados. No entanto, na hora de colocar em prática, a coisa acabou ficando chata demais e não era muito difícil tirar um cochilo nesses momentos. Uma pena. Mas o pior momento da noite e talvez um dos piores do Oscar nos últimos tempos, foi a apresentação dos indicados a Melhor Canção Original.

What the hell was that? Fizeram um medley com as três indicadas e quando pensamos que não dava pra ficar pior, John Legend destrói completamente a belissima “Down to Earth” e para nossa surpresa, piora ainda mais quando resolvem misturar “Jae Ho” com a música de Wall-E. O resultado não poderia ser pior. Foi algo vergonhoso de se ver e de tão ruim, faz até agradecer pela esnobada que “The Wrestler” levou. Dá até medo imaginar o que ia virar…

Uma das melhores atrizes da geração atual e um dos melhores atores da história recebem suas estatuetas e Bollywood recebe sua consagração máxima.

Uma das melhores atrizes da geração atual e um dos melhores atores da história recebem suas estatuetas e Bollywood recebe sua consagração máxima.

No mais, não posso esquecer da memorável cena do cara equilibrando o Oscar no queixo (uma daquelas coisas para ser lembrada em outras edições) e dos sensacionais discursos de Dustin Lance Black e Sean Penn, ambos premiados pelos trabalhos em roteiro e atuação respectivamente, no filme Milk – A Voz da Igualdade. O primeiro disse que foi graças a Harvey Milk que ele teve coragem de se assumir para a sociedade e para a sua familia e ainda prometeu direitos iguais para os homossexuais no futuro. E Sean Penn impressionou, dando um show de… simpatia!! Fez piadinhas com os colegas e com ele mesmo e ainda teve tempo para fazer as pessoas refletirem sobre os direitos dos gays e soltar a frase:

Mickey Rourke rises again. And he is my brother.

Por isso que eu adoro esse cara.

Quanto aos vencedores, só posso dizer que tivemos sorte da premiação não se resumir a anunciar quem ganhou em cada categoria. Mais previsível impossível, com a pequena exceção do prêmio para Penn, pois para a maioria ele era uma aposta alternativa e o Oscar estava dado a Mickey Rourke. Bem, a Academia nos deu uma grata surpresa e foi merecidissimo de qualquer maneira. E Quem Quer Ser Um Milionário? acabou sendo o destaque da noite, como já era esperado, com oito estatuetas (nem todas merecidas). Eu continuo achando que todo esse prestígio é exagero, mas enfim… tudo tem um motivo. Ah sim, tivemos também o emocionante discurso da familia de Heath Ledger – que fez Angelina Jolie chorar – um dos grandes momentos da noite.

Foi um excelente Oscar, como dito no começo, um dos melhores dos últimos anos. Algumas mudanças foram ótimas e torço para que permaneçam, outras, estou rezando para que esqueçam (nunca mais façam um medley com as indicadas a Melhor Canção…). Enfim, rumo ao Oscar 2010, onde podemos ter o retorno triunfal de James Cameron depois do seu filme de 11 Oscar e mais de 1 bilhão de dólares… ou não.

Anúncios

3 comentários sobre “Meus comentários sobre o Oscar 2009

  1. Eu gostei da cerimônia. Dos musicais, do Hugh Jackman, da Anne Hathway, Tina Fey, etc. Achei bem melhor que a do ano passado. Meu momento preferido foi o discurso do Dustin Lance Black, achei que foi bem honesto e deu para ver o porque dele ter feito Milk, achei isso muito legal. Outro momento que eu adorei foi o finalzinho do discurso da Kate, que ela fala com a Meryl.

  2. Na verdade vocês esqueceram de comentar o momento mais memorável deste oscar, aquele que foi para mim o ponto alto de uma fantástica cerimonia: Whoopi Goldberg, quando ela disse: “It’s not easy, being a nun [pausa para a plateia cair na risada]…. I’ve been there. Your face never looks thin, you never get to wear pants and your love interest is always off screen”… WOW!!!!! (detalhe da plateia explodindo, quando ela começou a frase, e deu aquele suspensinho pro povo morrer de rir)

    “Não é fácil ser uma freira…. eu já passei por isso. Sua cara fica sempre redonda, você nunca pode usar calças e seu interesse amoroso nunca está presente” (tradução horripilante mas é mais ou menos isso.

    Acho que entre esse fantástico comentário, o momento tina fey e steve martin, o discurso do povo do milk, a eterna aposta do Jack Black na pixar (cara de pau demais!!!!), a familia do ledger, o shampoo da Kate… e claro, o Jackman apresentando, foi um oscar como não vejo um há muito tempo!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s